For full functionality of Casamozambique site it is necessary to enable JavaScript. Here are the instructions how to enable JavaScript in your web browser.

FMI não prevê ajuda financeira a Moçambique em 2018

Postado por: Admin FMI não prevê ajuda financeira a Moçambique em 2018

Oct 25, 2017

O Fundo Monetário Internacional declarou, em Washington, que não irá prestar qualquer apoio a Moçambique no próximo ano e que irá condicionar qualquer ajuda até que sejam clarificados os pontos críticos por eles exigidos no relatório da auditoria. Entre os pontos críticos consta a clarificação do destino dado a $500 milhões de dólares e a divulgação dos nomes dos funcionários governamentais citados no relatório.

O escândalo da dívida surgiu em Abril de 2016, com a descoberta de empréstimos adquiridos pelo estado no valor de US$622 milhões para Proindicus e US $535 para o MAM, lançando Moçambique em uma crise sem precedentes nas últimas décadas.

Alexandre Chivale, advogado que representa Proindicus e MAM e a Companhia de Atum Moçambicana (Ematum),  disse "não é possível mover US $2.1 bilhões [através dos bancos VTB e do Credit Suisse] sem o sistema financeiro internacional saber" alegando assim que o FMI e o Banco Mundial sempre estiveram cientes da dívida contraída.

Esta dívida para além de ter violado as normas que os estados membros acordam com o FMI, transgrediu também a legislação moçambicana, uma vez que as dívidas não foram autorizadas pelo parlamento. Não menos importante, os doadores e a sociedade civil moçambicana exigem a responsabilização dos envolvidos no processo que ocorreu nos últimos anos do mandato do presidente Armando Guebuza.

Resta ao FMI, aos doadores e a sociedade civil moçambicana aguardar então até que a Procuradoria-Geral da República divulgue o texto completo do relatório da auditoria efectuado pela Kroll Associates UK e que foi pago pela Suécia.