For full functionality of Casamozambique site it is necessary to enable JavaScript. Here are the instructions how to enable JavaScript in your web browser.

O Banco Central aumentou taxas de juros para 23.25%, bancos comerciais para 29%

Postado por: Admin O Banco Central aumentou taxas de juros para 23.25%, bancos comerciais para 29%

Nov 01, 2016

O Banco de Moçambique anunciou recentemente um aumento enorme das suas taxas de juros de referência enquanto se esforça para controlar e reduzir o aumento da inflação e custo de vida em Moçambique.

Uma declaração emitida pelo Comitê de Política Monetária do Banco anunciou que a taxa da facilidade permanente de cedência (taxa de juro paga pelos bancos comerciais aos bancos centrais pelo dinheiro emprestado) irá aumentar imediatamente em 600 pontos base, de 17.25% para 23.25%, a partir de 1 de Novembro de 2016. Aumentos prévios não conseguiram controlar a inflação crescente.

Ao longo do ano passado, houve aumentos contínuos na taxa de referência com aumentos em Outubro, Novembro e Dezembro de 2015. Seguido de novos aumentos em Fevereiro, Abril, Junho, Julho, e mais recentemente em Outubro de 2016. Trazendo um total de 8 subidas das taxas nos últimos 12 meses. O último aumento de Outubro de 2016 de 23.35% significará que o custo de empréstimos aumentará substancialmente, dos quais os bancos comerciais passarão esse custo para os consumidores gerais.

Os bancos comerciais estão susceptíveis a dar empréstimos aos consumidores a uma taxa de mercado de 29% (lançamento oficial recente do BancABC para clientes com linhas de crédito).

O governador do Banco Central, Rogerio Zandamela, que esteve anteriormente com o FMI e recentemente substituiu o ex-governador Ernesto Gove cujo mandato terminou depois de 10 anos, disse que anteriormente a taxa de juro de referência tinha sido negativa em termos reais. O porpósito da mudança era para torná-los mais positivos dado que o Banco Central não pode cumprir o seu papel como regulador de enivar sinais para o mercado.

A razão para uma taxa da facilidade permanente de cedência negativa foi devido à hiperinflação em Moçambique, com taxas de inflação (registradas a 25% no final de Setembro) excedendo a taxa da facilidade permanente de cedência. Prevê-se que a inflação irá bater entre 29% a 34% até o final de 2016.

O Banco de Moçambique alertou sobre um "nível crítico" de reservas líquidas, suficiente para apenas 3 meses de importações.

A economia de Moçambique continua a cair e a batalhar contra a dívida após a queda global de mercadorias, uma retirada do Investimento Direto Estrangeiro e o congelamento de toda a ajuda externa, nomeadamente dos países G14 e do FMI, após revelações de empréstimos anteriormente não divulgadas no valor de US $ 1,4 bilhões tomado por três empresas estatais, que paralisou a economia.